Notícias

24/11/2017

Encontro de Gestão Ambiental reforça importância da adoção de processos sustentáveis

SINDIHOSPA reuniu profissionais de referência para tratar de sustentabilidade nas instituições de saúde 

 

Investir em processos sustentáveis e em tecnologias de gerenciamento de resíduos e recursos naturais não é apenas questão de responsabilidade, mas também de economia. Para tratar de temas associados às melhores práticas na área, profissionais de instituições de referência estiveram reunidos nesta sexta-feira (24), na AMRIGS, no 2º Encontro Nacional de Gestão Ambiental em Estabelecimentos Assistenciais em Saúde.

 

Promovido pelo comitê de Gestão Ambiental do Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA), o evento debateu questões como eficiência energética, sistemas de compras e descartes, segregação de materiais e inovação. "Há uma preocupação crescente das instituições de saúde em realizar ações sustentáveis que façam a diferença e sejam percebidas pela sociedade. Aqui compartilhamos em detalhes o que estamos fazendo para tornar esses esforços realidade", resume o coordenador do comitê, Rogério Almeida, responsável pela área de Gestão Ambiental do Hospital Moinhos de Vento. 

 

Em um dos destaques da programação, a enfermeira do Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Michèle Borges, falou sobre aspectos relacionados à segregação de resíduos em quartos de isolamento. Segundo ela, muitas instituições acabam desperdiçando recursos com práticas de segurança contraditórias às recomendações técnicas de sanidade. "Micro-organismos patogênicos comprovadamente têm um tempo limitado de vida, portanto não oferecem maior risco do que o nosso resíduo domiciliar", explica. Segregação adequada na fonte, acondicionamento e identificação, proteção dos locais de armazenamento e qualificação técnica das equipes são alguns dos pontos que a enfermeira indica para que esse processo seja aprimorado.

 

  
Michèle Borges, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre   Debate sobre segregação de resíduos em quartos de isolamento

 

Ellen Hardy, arquiteta consultora da ProAdapta Hospitais Sustentáveis, de São Paulo, apresentou um panorama dos ciclos naturais. "Tudo se relaciona de uma forma ou de outra com o ambiente. O problema é que essa relação se tornou tão indireta que muitas vezes acabamos perdendo essa conexão", pondera. Ela defende um processo contínuo de reavaliação dos recursos e serviços para que rejeitos possam ser reduzidos e os resíduos reaproveitados cada vez mais. "O foco da gestão ambiental é pensar todos os processos de entrada e saída, de forma que a nossa interação com a natureza seja sempre a mais saudável possível, e que o máximo possa retornar como energia sustentável", diz. 

 

Participaram ainda da programação do evento Vagner Braga (Santa Casa de São Gabriel), Guilherme Vitola (Studioeffi), Rafael Martins Lopes (Hospital Moinhos de Vento), Andrea Loguercio (UFRGS), Christian Medeiros (Stericycle), Carmen Míquel (meuResíduo) e Amanda Marques de Castro (Hospital Albert Einstein). “Foi um ano de muito trabalho e envolvimento com os órgãos públicos e setor privado na busca por qualidade nos processos, inovação e atendimento à legislação”, avaliou o coordenador Rogério Almeida. “Esse evento vem também para coroar essas ações”, acrescentou. 

 

  
Ellen Hardy é autora do livro Pequeno Manual do Hospital Sustentável   Coordenador do comitê de Gestão Ambiental, Rogério Almeida