Notícias

24/01/2019

Expansão do Hospital Mãe de Deus prevê investimento inicial de R$ 144 milhões

Após entregar recentemente o novo Hospital Santa Ana em Porto Alegre, a Associação Educadora São Carlos (AESC) anuncia outra importante novidade para a Saúde no Rio Grande do Sul. Trata-se do projeto de expansão do Hospital Mãe de Deus, investimento com valor inicial de R$ 144 milhões. Com conclusão prevista para 2024, a inciativa será dividida em quatro fases e aumentará em 30% a capacidade de atendimento do complexo, beneficiando diferentes áreas e especialidades clínicas, em um total de 37 mil metros quadrados de área ampliada.

 
O começo das obras poderá ocorrer até o segundo semestre de 2019, mas ainda depende da liberação junto aos órgãos públicos, o que já está sendo providenciado. O projeto é assinado pela EMED Arquitetura Hospitalar, escritório paulista com destaque em empreendimentos no setor da Saúde nacional.
 
Com valor estimado de R$ 41 milhões, a primeira etapa do projeto prevê a criação de dois novos prédios, ampliação da Emergência e avançado centro de radioterapia. Com isso, serão criados 105 novos leitos de internação e 20 leitos de “hospital dia” para casos de baixa complexidade, consultórios e novos acessos para internações. Nesta etapa,  20 novos leitos de CTI Neonatal  acompanharão a expansão do Centro Obstétrico, que ganhará novas salas de parto humanizado e cirúrgicos. O novo prédio ainda contará com um heliponto, importante recurso para atender a pacientes de regiões distantes e no transporte de órgãos para transplante, entre outras demandas. São previstos 24 meses para a conclusão desta etapa.
 
Na sequência, a segunda fase do projeto tem como principal destaque a construção de outro prédio na Rua Grão Pará, voltado a receber os Serviços de Imagem e Diagnósticos, que ganharão novos recursos em tecnologia. Esta área contará com acesso facilitado para pacientes eletivos (não internados) e comunicação com todo corpo do hospital. Já a terceira etapa inclui um novo Centro Cirúrgico com 20 salas operatórias e 40 leitos de recuperação, além de nova CTI Adulta com 60 leitos. Ambas as áreas estarão localizadas em mais um prédio que será construído, com acesso pela Rua Costa. Completando o projeto, a quarta fase prevê a intensa reforma da Torre Alfa, consolidando a modernização dos seus quartos de internação, que terão seus espaços ampliados, com novos banheiros, acessibilidade e conforto para pacientes internados.
 
“O Mãe de Deus tem se destacado por ser especialista em resolver. O projeto de ampliação visa, especialmente, a melhoria de performance do complexo e nossa capacidade em resolver, promovendo um modelo mais eficiente de arquitetura hospitalar. Sem dúvida, entregaremos um Hospital Mãe de Deus que trará muito orgulho e satisfação a nossos clientes, médicos e colaboradores”, afirma o Superintendente Executivo da Instituição, Dr. Fábio Fraga. Especialidades estratégicas do hospital, como Cardiologia, Traumatologia e Ortopedia, Neurologia, Oncologia e Cirurgia, serão algumas das principais áreas contempladas pelo processo de expansão. Com a conclusão das obras, Dr. Fábio Fraga estima um forte crescimento no número de atendimentos, tanto a nível ambulatorial como internados. “Aumentaremos em  30% nossa capacidade de atendimento em internação, atraindo pacientes de todo sul do Brasil.”.
 
Ao anunciar o projeto, a AESC tem como objetivo qualificar e diversificar ainda mais os serviços do Hospital Mãe de Deus, que vêm sendo aperfeiçoados nos últimos anos em um movimento marcado por mudanças de governança clínica e estratégica de negócio. Este novo momento da Instituição possibilita maior resolutividade em processos e forte incremento de produtividade, como já observado no setor de Emergência, onde atualmente mais de 90% dos pacientes são atendidos menos de 30 minutos.
 
Para o Superintendente Geral da AESC, Fernando Barreto, “Esta é uma demanda histórica que vem na sequência de investimentos na saúde pública e privada. Em 2017, construímos uma estrutura administrativa para atender as unidades da organização,  entregamos o Hospital Santa Ana e os CAPs e adequamos alguns setores dos hospitais do litoral. A partir de agora, investiremos prioritariamente no Hospital Mãe de Deus, trazendo uma medicina moderna com conforto e acesso a novas soluções assistenciais”. 
 

Sequências de investimentos na Saúde Privada e Pública
 
O Hospital Mãe de Deus integra uma das unidades de negócios da AESC, entidade filantrópica com origem em Caxias do Sul, fundada há quase 60 anos pela Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas. Além da Saúde Privada, a Associação também atua nos segmentos de Saúde Pública e Educação. Em 2018, a entidade inaugurou em Porto Alegre seu Centro de Serviços Compartilhados (CSC), moderna estrutura que reúne diversos recursos para atender todas suas áreas de negócio, consagrando um modelo de gestão que possibilita maior produtividade e qualidade no atendimento às demandas da rede.  
 
Com diferentes unidades voltadas à Saúde Pública, a AESC inaugurou também ano passado na Capital gaúcha o novo Hospital Santa Ana. Voltado à retaguarda clínica, a casa de saúde acolhe prioritariamente pacientes SUS egressos dos hospitais de alta complexidade, emergências e pronto-atendimentos da cidade, encaminhados pela regulação da Secretaria Municipal de Saúde. Ao todo, o Hospital Santa Ana conta com 205 novos leitos, incluindo um Centro Especializado em Reabilitação Auditiva e Intelectual, para atendimentos ambulatoriais.
 
Paralelo ao projeto de expansão do Hospital Mãe de Deus, ainda está previsto para 2019 o reforço da parceria entre AESC e Prefeitura de Porto Alegre para o lançamento de um novo Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS), no Centro da cidade. A estrutura será voltada ao atendimento de pacientes dependentes químicos, somando-se às três outras unidades de CAPS gerenciadas pela AESC na Capital. “Ao mesmo tempo em que investe na Saúde Privada, a AESC reforça o seu comprometimento com a Saúde Pública. Por isso, mais do que oferecer novas estruturas, nos empenhamos em promover acesso a serviços de qualidade superior para a população”, comenta Barreto.