Notícias

09/06/2019

Ministro da Saúde aponta obstáculos e caminhos para a área em seminário na Capital

 Um público formado por líderes empresariais, gestores e médicos reuniu-se nesta sexta-feira (7) em Porto Alegre para debater os desafios da saúde na nova edição dos Seminários de Gestão. Resultado de uma parceria entre a Federação dos Hospitais do Rio Grande do Sul (Fehosul), a Associação dos Hospitais do Rio Grande do Sul (AHRGS) e o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (Sindihospa), o evento trouxe à capital o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Outros três especialistas na área completaram a programação, realizada no Hotel Plaza São Rafael. 

 

Na abertura do encontro, o presidente da Fehosul, Cláudio José Allgayer, destacou a importância de o setor estar sempre atento e unido em torno de soluções conjuntas. “Existem desafios extraordinários pela frente, que exigirão arranjos inovadores de governança e integração de instituições públicas e privadas, além de sólidas competências dos gestores”, disse Allgayer. 
 
Fundador da Fehosul, médico e vice-presidente da Confederação Nacional de Saúde (CNS), o deputado federal Pedro Westphalen (PP-RS) fez a apresentação do ministro da Saúde. O parlamentar elogiou “a forma transparente e objetiva do trabalho de Mandetta”. “Apesar do pouco tempo de governo, já vem trazendo resultados e perspectivas positivas para o setor”, pontuou. 
 
Em sua exposição, o ministro lembrou do surgimento e dos primeiros passos do Sistema Único de Saúde (SUS), enfatizando sua relevância para o Brasil. Ele também chamou a atenção para a questão do envelhecimento da população brasileira. “Este processo vai exercer cada vez mais pressão sobre o sistema de saúde, em várias frentes. Temos de estar preparados”, alertou Mandetta, que também afirmou que o Ministério considera a valorização à atenção primária como fundamental para a melhoria dos serviços à população. 
 
 
 
Gestão e capital humano
 
Segunda palestrante da tarde, a secretária de Saúde do Rio Grande do Sul, Arita Bergmann, apresentou números e dados estatísticos do órgão. “Assim como na iniciativa privada, é necessária a modernização da gestão na saúde pública no Estado, utilizando novas ferramentas e novas tecnologias”, observou Arita.
Presidente do International Hospital Federation, Francisco Balestrin falou sobre o hospital do futuro e o futuro dos hospitais. “Eles serão cada vez mais especializados e centro de excelência em determinas especialidades. Haverá um foco na liderança clínica, com novos papéis para o médico. Por isso é preciso incentivar a qualificação da gestão”, afirmou Balestrin.
 
Para o superintendente Executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, está em curso uma transformação das instituições de saúde. Segundo ele, os médicos serão protagonistas da mudança. “Os melhores hospitais são aqueles que possuem as pessoas mais engajadas, com um corpo clínico integrado e com forte senso de identidade institucional. Mas toda vez que há um desafio, há também uma oportunidade”, concluiu Parrini.
 
 
A próxima edição do Seminários de Gestão ocorrerá no dia 2 de agosto, com o tema Inovação, Novos Tecnologias e Gestão Disruptiva na Saúde.